sexta-feira, 8 de novembro de 2013

...às vezes...

...às vezes não é dia de dizer muito. 

Não é dia de dar ou receber...não é dia de se ousar ouvir. Às vezes, esse dia prolonga-se pelos tempos e volta, mais forte, mais primeiro, mais perto. 

Às vezes é dia de parar. É dia de deixar a chuva cair e atravessar os caminhos molhados com os pés descalços e a alma nua. 

Às vezes perco-me nas reflexões e acordo com a boca muda e a alma seca. Às vezes nem sei onde parar, onde cair de joelhos fincados na terra...onde perder o bater da vida, onde chorar. Às vezes a revolta seca fontes, a injustiça fecha portas, olhos, sentimentos, razões. O amor.

...às vezes...

...hoje é o dia de todas as outras vezes.


3 comentários:

Anónimo disse...

"às vezes é assim, sem motivo aparente tudo parece vazio mas, ainda assim venho ler o seu blog...às vezes!"

Nuno Santos disse...

Há Dias completamente vazios!

Cheios de gente a volta, mas com um vazio enorme por dentro!!!

Luis Bento disse...

Há dias assim...Em que a gente se sente mal, mas depois vem aqui ler um texto ...e pronto !