terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Sexta-feira é dia de Frango Assado

Tem passado o tempo, o dia, a noite...a chuva teima em cair, mesmo quando não inunda ruas, inunda gentes e corações, ansiedades. Abre rios de emoção e enche praças de luta, sede de vitória, devaneios de revoltas mil.

Ontem houve aqui uma manifestação. Se não foi ontem...foi um dia destes. Mas ontem o coração encheu-se-me de saudades do tempo de reivindicar, de se poder apresentar soluções, de gritar o que não está bem e de exigir. Ontem lembrei-me da Escola Democrática. Crítica. Interventiva. Da Escola que reconhece a rudeza dos caminhos, a dureza do trabalho, a continuidade da discussão, o trabalho num todo. O voto. O respeito.

Ontem houve uma manifestação, aqui, no pátio da Escola. Pedia-se frango assado para sexta-feira. Que há sexta é dia de frango assado, batatas fritas e arroz branco. Com ou sem salada. Promessas de recusa em comer, uma espécie de "greve de fome!", gritava a mais agitada de todas. Recebi-os...não todos, mas três. Pedi-lhes que me expusessem as questões...

"Não são muitas, Andrea, é só uma! Sexta-feira...é dia de frango assado. Não é dia de outra comida. É o nosso dia favorito, todos adoramos!" - mexia na barriga e rodava a língua...enquanto os outros dois reiteravam com os olhos brilhantes. 

Sugeri então que fizessem um pedido por escrito, da melhor forma que conseguissem...e eu levaria o assunto à Direcção, com toda a pompa e circunstância que a situação exigia! Anuíram. Que aquele assunto não era coisa para se brincar, as sextas-feiras mexem com a vida de uma criança!

"Mas isto assim ainda nos vai dar trabalho. Isto das manifestações e das greves tem muito que se lhe diga, já estou mesmo a ver...", rematou a Laura, que pensava com toda a certeza que aquilo eram "favas contadas", assim que falassem comigo.

Dez minutos passados e tinha uma folha de Caderno Diário, com um coração no canto...(soube que tinha sido a Catarina a exigir que se colocasse lá esse desenho, para ser meiguinha comigo...) e uma exigência simples:

"Senhores da Direcção, os meninos e as meninas querem frango assado à sexta-feira. Gostamos mais assim. As batatas fritas também podem estar lá. Se não houver salada, não faz mal."

E assim foi... nessa semana e durante uma série delas. Não se quis cá greves de fome. Gente pequena cheia de razão e de vontade de se manifestar. 

Ontem houve aqui uma manifestação. Mas ontem... há muito tempo.  

1 comentário:

João oliveira disse...

"mexia na barriga e rodava a língua..." hahahaha funny, o espírito reivindicativo instala-se na realidade dos petizes, é a democracia no seu pleno, se há coisa para qual estes nossos tempos servirão é para despertar na urbe a fome* da cidadania reivindicativa, e nada melhor que frango para a saciar ...(¬‿¬)