sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Chamou-me Pê-U-Tê-A!!!

Hoje fiz vigília no recreio...precisaram da minha mãozinha e eu, a Rainha do Pátio, como carinhosamente me apelidam, lá fui... Apesar do frio, havia um banco mesmo colocado ao sol, sentei-me e fiquei a deliciar-me com as brincadeiras dos miúdos - as mesmas que já foram as nossas.

A determinada altura uma menina vem a correr ter comigo:

- A Patrícia chamou-me um nome feio... chamou-me Pê-U-Tê-A!!! - Abriu os olhos e fixou-me em jeito de desafio que grita "agora-é-que-quero-ver-o-que-vais-fazer"!

- Qual Patrícia, a pequenina? - Que sim, que lhe havia chamado "aquilo" - então pede-lhe para que venha aqui ter comigo, se faz favor...

A Leonor correu pelo pátio, atravessou o campo, sempre debaixo do meu olho, e quase que trouxe a pequena Patrícia pelo ar, apesar de, ao chegar mesmo pertinho de mim, cada pé pesasse cerca de uma tonelada (isto medindo pela forma como os arrastava e ia olhando para o chão).

- Patrícia, senta-te aqui ao lado da Andrea...- disse-lhe suavemente - então, diz-me lá, o que é que aconteceu que a tua amiga chegou aqui tão triste?... 

- Não fiz nada, só lhe chamei um nome feio...

- Qual?... Um nome feio a uma amiga...? Não me parece nada bem... qual foi?

Sussurrando avançou com o famoso: pê-u-tê-a!

- Ai Patrícia...que não sei se entendi. Essa coisa de soletrarem as palavras... - Isto porque acredito que se os miúdos forem confrontados com as palavras compreendem que o seu poder é grande e os contextos merecem ser respeitados.

Corando, mas corando muito, baixou o queixo...inspirou, ganhou coragem e quase que engoliu a voz, de tanta vergonha:

- Chamei....puta...

Fiz uma pausa, esperei que levantasse os olhos, segurei-lhe na mão e perguntei-lhe se ela sabia o que queria dizer. "Não!...Mas sei que é uma palavra muito feia...", que chamou só uma vez e apenas porque a outra a havia irritado à frente de todos.

- Oh Andrea - interrompeu a Leonor, e com um trejeito de orgulho - eu sei o que quer dizer... 

- Ai sim? Conta lá, então...- a Patrícia endireitou-se no banco e fixou a amiga.

- Puta, quer dizer prostituta!!!

- Hum...e o que é prostituta?

- É uma senhora que anda na rua e recebe dinheiro de homens para ir com eles a sítios onde eles não gostam de ir sozinhos! 

A melhor definição de sempre! A melhor definição de sempre...no penúltimo dia do ano... 

Voltando-me para a Patrícia perguntei-lhe se a amiga seria aquilo, se receberia dinheiro e iria com seja com quem fosse, onde quer que fosse. Respondeu que não e que era "uma parvoíce chapada" o que lhe tinha chamado, pedindo-lhe desculpa logo a seguir.

Afastaram-se de mãos dadas aos saltinhos. Uma com a honra limpa, outra orgulhosa por ter aprendido algo realmente importante.

E eu ali fiquei, ao sol, refrescada pela definição daquele meio palmo de gente.

4 comentários:

CoisasDaGaja disse...

Aprendo mais com os "teus" meninos que em muitos dias de vida :) Fabulosa definição!

Aproveito para te desejar que 2012 te traga mais sabedoria, paciência e que te encha o coração de alegrias :)

Um xi coração :)

Julio Lourenço disse...

Aprende-se muito desse lado da chuva. Que em 2012 não deixe de chover desse lado.
Bom 2012
JL

KNOPPIX disse...

O mundo visto pelas crianças tem pormenores deliciosos, essa definição é algo que nunca passaria pela minha cabeça, gosto muito da sua escrita, parabéns :)

Andrea Diegues disse...

Agradeço cada elogio, cada palavra de alento, cada comentário.

Votos de 2012 recheado de tudo o que a vida tem de melhor...

Deste lado da chuva continuará sempre a pingar...